17 de julho de 2015

Deputados já pedem afastamento de Eduardo Cunha, acusado de propina

Deputados federais iniciaram uma mobilização na Câmara dos Deputados para pedir o afastamento do presidente da casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ex-consultor da Toyo Setal Júlio Camargo relatou à Justiça Federal do Paraná que Cunha lhe pediu propina de US$ 5 milhões. Além disso, o doleiro Alberto Youssef afirmou, em depoimento, que ele e sua família estão sendo vítimas de intimidação por um deputado federal que chamou de pau mandado” do presidente da Câmara.

O deputado Silvio Costa (PSC-PE) pediu, em entrevista coletiva na Câmara, o afastamento de Cunha e disse que vai fazer uma consultoria jurídica para avaliar a possibilidade de pedir o seu “impeachment” . Na mesma linha, o deputado Ivan Valente afirmou acreditar que Cunha não tem mais “condições” de comandar a Câmara. “Nesse momento, fica claro que ele não tem mais condições de representar a instituição. Como é que ele vai hoje em cadeia nacional de rádio e TV fazer um balanço de sua gestão quando pesam contra ele graves acusações”, questionou.

Acuado pelos desdobramentos da operação Lava Jato, Eduardo Cunha decidiu ir para uma estratégia de enfrentamento com a Justiça Federal, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, e de responsabilizar o governo por direcionamento das investigações. Nesta sexta-feira, ele anunciou seu rompimento pessoal com o governo e disse que a agora é oposição. Dentro do próprio PMDB, já há setores incomodados em dar sustentação a Cunha, num momento em que ele começa a criar desgaste ao partido e ao próprio Legislativo.