3 de abril de 2015

Senhor do Bonfim é pré-selecionado para receber curso de Medicina

Ministros durante o anúncio
Senhor do Bonfim está entre os 22 novos municípios pré-selecionados em todo o país - quatro deles na Bahia - para receber novos cursos de Medicina. O anúncio foi feito pelos ministros interino da Educação, Luiz Claudio Costa, e da Saúde, Arthur Chioro. A medida do governo Dilma busca equilibrar regionalmente o número de médicos por habitantes, levando faculdades da área de Saúde para o interior do país.

Na Bahia, além de Bonfim, foram contemplados os municípios de Brumado (Centro-Sul), Irecê (Centro-Norte) e Euclides da Cunha (Nordeste) e Senhor do Bonfim (Centro-Norte). A abertura de vagas de medicina pelo país foi prometida pelo governo da presidente Dilma em 2013, em meio ao lançamento do programa Mais Médicos, que prevê o envio de profissionais para periferias das grandes cidades e municípios do interior. Segundo o ministro Arthur Chioro, o edital lançado nesta quinta atende à lei que criou o Mais Médicos e permitirá ao Brasil alcançar “no médio prazo” a meta de 600 mil profissionais da área em todo o país. Ele ressaltou ser preciso expandir as vagas de medicina em instituições e defendeu que não haja concentração na formação de médicos somente nas capitais dos estados.

O ex-deputado e ex-prefeito de Bonfim, Carlos Brasileiro, que vem lutando há alguns anos pela implantação da Faculdade de Medicina em Bonfim, comemorou a decisão. "A população precisa compreender que, muitas vezes, as nossas lutas demoram de se concretizar. Mas, é preciso insistir, para que os sonhos de nossa gente se tornem realidade. É preciso continuar acreditando e lutando para que as coisas se concretizem", afirmou.

A meta do governo é criar 11,5 mil vagas de Medicina até 2017, com impacto direto para a saúde do país. No ano passado, outras 39 cidades de 11 estados foram selecionadas depois de terem sido consideradas aptas a receber novas faculdades do curso de medicina. De acordo com o ministro da Saúde, o objetivo do governo é aumentar o número de médicos por mil habitantes no país de 1,8 para 2,7 até 2026.