3 de setembro de 2014

Marina Silva plagia plano de direitos humanos implantado por FHC

O plano de governo apresentado por Marina Silva, candidata do PSB à Presidência da República, plagiou trechos inteiros do Plano Nacional de Direitos Humanos lançado e publicado em decreto pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em maio de 2002, segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de São Paulo. A cópia está no capítulo dedicado ao tema. Dos dez itens defendidos pela campanha da pessebista, quatro foram integralmente copiados da proposta tucana. A reprodução foi revelada nesta terça-feira (2) por Aécio Neves, que disputa o Planalto pelo PSDB, e marcou a mudança de tom do candidato em relação à adversária.

Ele divulgou o plágio em entrevista coletiva, na qual fez as mais duras críticas a Marina desde que ela despontou nas pesquisas eleitorais, deixando-o isolado na terceira colocação, com 15%. Procurada, a campanha de Marina emitiu nota em que chama de "maliciosas" as acusações do tucano e diz que seguiu diretrizes do Movimento Nacional de Direitos Humanos, que serviram para elaborar as versões do plano em 1996, 2002 e 2010. "Nosso programa naturalmente incorpora essas conquistas", diz o texto.

A reportagem comparou os trechos do plano de governo de Marina apresentados como cópia pelo candidato tucano com o decreto de FHC de 2002. Os quatro parágrafos são idênticos -três são reproduções integrais e, em um, há a troca de dois termos. A proposta de Marina não incorporou trechos idênticos das versões de 1996 e 2010. Aécio falou sobre o caso ao lado de FHC. Além de chamuscar Marina, o ato foi uma tentativa de encerrar a agenda negativa do tucano desde a sua queda nas pesquisas.