21 de novembro de 2013

Governador discutiu em Brasília adutora do São Francisco para Bonfim


Wagner e o ministro Francisco Teixeira
Novos investimentos para o semiárido baiano foram o principal assunto do encontro realizado, em Brasília, entre o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e o governador Jaques Wagner, acompanhado do secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, e do presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Elmo Vaz. O governo baiano apresentou novos projetos, entre eles o da Adutora do São Francisco, entre Juazeiro e Senhor do Bonfim, que vai beneficiar mais de 600 mil pessoas, com um investimento de R$ 482,6 milhões.


A Adutora contemplará 28 municípios. Na primeira etapa, a adutora chegará até Senhor do Bonfim, beneficiando ainda os municípios de Jaguarari, Andorinha e comunidades de Uauá e Juazeiro, interligando à adutora de Ponto Novo, que em trajeto contrário levará água para Filadélfia, Ponto Novo e Itiúba. Também está prevista uma outra conexão que contemplará Campo Formoso e Antônio Gonçalves.Em uma segunda etapa, seguirá até Pedras Altas, interligando ao sistema da Região do Sisal. Na terceira etapa, fará a interligação com o sistema entre Pindobaçu e Jacobina, beneficiando ainda Saúde, Caem e Caldeirão Grande.


No encontro, também foi detalhada a proposta de construção do Sistema Integrado de Abastecimento de Água Santa Luz – Queimadas. Este é uma uma obra orçada em R$ 185 milhões, que vai beneficiar mais de 71 mil pessoas nas sedes rurais dos dois municípios e mais 42 localidades", explicou Rui Costa. Ainda foram apresentados os dados da execução da primeira parcela do convênio entre os governos federal e estadual, por meio da Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb): são 535 sistemas simplificados de abastecimento de água já contratados. Destes, 275 estão concluídos e 243 em andamento. Os dois governos discutiram a liberação da segunda parcela, no valor de R$ 100 milhões, para a continuidade das ações. Ao final, somadas as duas parcelas, serão 1.240 novos sistemas construídos através do convênio.


Veja também:

Governos federal e estadual discutem novos investimentos no semiárido