4 de outubro de 2013

TSE rejeita criação de partido de Marina Silva

Por seis votos a um, os ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiram rejeitar o pedido de registro da Rede, partido da ex-senadora Marina Silva. Votaram contra a criação da legenda a ministra Laurita Vaz, relatora do caso, que foi seguida pelos ministros João Otávio de Noronha, Henrique Neves, Luciana Lóssio, Marco Aurélio Mello e Cármen Lúcia. O ministro Gilmar Mendes foi o único a divergir e votou a favor.

Com a decisão da Corte, a sigla não estará apta para a disputa eleitoral de 2014. O prazo para o registro de legendas e para se filiar a algum partido termina amanhã (5). Com a decisão do TSE, Marina Silva precisa decidir se aceita migrar para outro partido para ser candidata à Presidência em 2014.

Segundo o deputado federal Walter Feldman (ex-PSDB-SP), um dos principais apoiadores da Rede, sete partidos ofereceram a legenda para que a ex-senadora se filiasse. Mas, segundo ele, o provável é que Marina não seja candidata. Sua prioridade seria dar continuidade à criação da Rede, apesar de o partido, caso haja decisão desfavorável nesta quinta, estar impedido de concorrer nas eleições do ano que vem.