5 de setembro de 2013

Obama vai explicar pessoalmente a Dilma espionagem dos EUA

O presidente Barack Obama explicará diretamente a Dilma Rousseff o mecanismo norte-americano de espionagem que tanto irritou a presidente brasileira.  O encontro, informal, deverá ocorrer às margens da cúpula do G20, em São Petersburgo, da qual ambos participam. Sua realização foi antecipada pelo assessor de segurança nacional Ben Rhodes, que admitiu entender "quão importante é o tema para os brasileiros".


Rhodes falou aos jornalistas que cobrem a viagem de Obama, primeiro à Suécia, e agora à Russia. É a primeira manifestação oficial da Casa Branca a respeito do esquema de espionagem sobre a presidente brasileira. E é uma manifestação de compreensão pela irritação: "Nós entendemos a força do sentimento deles [brasileiros] a respeito do assunto", disse Rhodes, para acrescentar:

"O que estamos fazendo é adotar uma visão abrangente de quais são exatamente as alegações [reveladas pelo jornalista Glenn Greenwald, a partir de dados vazados por Edward Snowden] e quais são os fatos, em termo das atividades da Agência Nacional de Segurança" [responsável pelo mega-esquema de espionagaem]. O assessor de Obama disse também que a Casa Branca pretende trabalhar com o governo brasileiro, para que "tenhamos um melhor entendimento de suas inquietações. Continuaremos com esse trabalho".