26 de setembro de 2013

Correios em Bonfim mantém 30% dos funcionários trabalhando

Os funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) em Bonfim aderiram à paralisação nacional, que começou no dia 18 de setembro, e seguem em greve. No entanto, seguem determinação da lei federal que estabelece um contingente de no mínimo 30% do pessoal trabalhando. O objetivo é evitar prejuízos ainda maiores para a população.
A reportagem do Bonfim Agora apurou que, na agencia de Bonfim, 9 dos 12 carteiros do município mantém a greve. Dos 5 funcionários que atendem no interior da agência, dois aderiram à paralisação. No ultimo sábado e domingo, uma equipe de carteiros do município realizou um mutirão de entregas. Mesmo assim, é grande o volume de correspondências e encomendas se acumulando no depósito da agencia. 

Os servidores pedem aumento real de 15% no salário; reposição da inflação de 7,13%; aumento linear de R$ 200; reposição de 20% das perdas salariais, redução da jornada dos atendentes para 6h e manutenção do plano de saúde. Os Correios informaram que vão descontar os dias parados dos salários dos funcionários. Segundo a empresa, a legislação prevê que a greve implica a suspensão do contrato de trabalho, mas o momento em que os descontos serão efetuados ainda não foi definido. O dissídio coletivo dos Correios deverá ser julgado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), porque não houve acordo entre a empresa e os trabalhadores.