30 de setembro de 2013

Bonfim ganha Centro Juvenil de Ciência e Cultura

O Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Educação e Direc 28, está implantando em Senhor do Bonfim o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), que funcionará no Colégio Estadual Cazuza Torres. Esse espaço educativo visa a ampliação do tempo educativo dos alunos do Ensino Médio, através de atividades diversificadas nas áreas de Ciências e Culturas, melhorando a proficiência dos mesmos nas áreas de conhecimentos, garantindo a articulação com a pesquisa e a extensão, incentivando o protagonismo juvenil, e efetivamente melhorando a qualidade da educação dos mesmos.

 

Segundo o diretor da Direc 28, Helder Amorim, nesse Centro serão oferecidas atividades diversificadas, com o apoio das Universidades e outros parceiros, assim como cursos nas áreas de conhecimento para potencializar o conhecimento dos docentes. "Essa é uma iniciativa pioneira no interior da Bahia, uma vez que só tínhamos o CJCC em Salvador ( No Colégio Central da Bahia), e faz parte do compromisso do Governo da Bahia de ampliar as ações exitosas para todos os baianos", afirmou.

Para Helder, a Direc 28 passa por um novo momento, e destacou ainda a atuação dos Centros de Educação Profissional, em Jaguarari (territorial) e Bonfim (estadual); o Centro Noturno de Educação da Bahia, em Bonfim; o futuro CEMIT, que será implantado ainda esse ano; e as demais unidades escolares estaduais, que, segundo ele, oferecem uma educação de qualidade referenciada. 


"Não podemos deixar de agradecer ao Governo da Bahia e ao Secretário de Educação, Prof. Osvaldo Barreto Filho, pela confiança e incentivo; ao deputado Carlos Brasileiro, pelo apoio incondicional; à incansável equipe da Direc; aos gestores, professores, alunos e funcionários, prefeitos, vereadores, imprensa em geral, órgãos parceiros, escolas, universidades e secretarias municipais de Educação", citou Helder. Ele ainda fez um agradecimento especial ao Prof. Iuri Rubim, coordenador do CJCC, e à equipe do Colégio Estadual Cazuza Torres, por dividir o trabalho.