8 de agosto de 2013

Depois de se tornar vilão, tomate agora derruba a inflação

Eleito o vilão da inflação nos últimos meses, quando o preço do quilo superou o de alguns cortes de carne, o tomate anda tão em baixa que há agricultor jogando a lavoura ao chão. Produtores que venderam a caixa de 20 quilos a R$ 80, no primeiro trimestre do ano, agora não conseguem mais do que R$ 20. Bom para o consumidor: o preço médio do quilo nos supermercados e sacolões despencou em torno de 50%.


Em julho, a inflação ficou praticamente zerada (0,03%), e o tomate foi um dos responsáveis, junto com outros alimentos. Tiveram queda de preços o tomate (-27,25%), a cebola (-10,90%), o feijão carioca (-4,96%) e a batata inglesa (-4,87%). Após período de maior pressão sobre os preços de alimentos e com a revogação do aumento das passagens de ônibus em diversas capitais, o ritmo de alta da inflação em julho caiu e o acumulado em 12 meses voltou a ficar dentro da meta estipulada pelo governo para o ano.