29 de agosto de 2013

Comunidades de Queimadas e Caldeirão Grande querem passar para Ponto Novo

A Comissão de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa, que tem como integrante o deputado Carlos Brasileiro, iniciou as discussões sobre os limites territoriais do município de Ponto Novo, no Piemonte Norte do Itapicuru. O objetivo é apontar caminhos para as demarcações e iniciar os trabalhos de atualização das divisas. As comunidades de Marrecas, Raposa, Peixe, Pau Ferro, Lagoa das Camaradas, Sanharol, Ipoeira Funda, V. dos Limpos e Urtigas, hoje localizadas em Queimadas, e as localidades de Mamota, Santo Antônio, Caiçara e Serra do Imbé, em Caldeirão Grande, reivindicam inserção no território de Ponto Novo.



Brasileiro destacou que o assunto vem sendo acompanhado pelo prefeito de Ponto Novo, Adelson Maia; pelo vice-prefeito, Artur Paiva, e os vereadores Miguel do PT e Arnóbio Carneiro. Eles estiveram presentes na última reunião da Comissão, na Assembleia Legislativa, onde foram indicados os próximos passos em relação ao assunto. “Já conversamos com o prefeito de Queimadas, Tarcísio Pedreira, e vamos dialogar com o prefeito de Caldeirão Grande, João Gama Neto, para que haja uma discussão aprofundada sobre o assunto e se chegue a um consenso quanto à questão”, afirmou o deputado.

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia ligada à Secretaria do Planejamento (Seplan), já realizou um estudo preliminar sobre os limites entre Ponto Novo e Queimadas, e será levado em conta a realidade da população. Nos próximos dias, será realizado o diagnóstico nos limites entre Caldeirão Grande e Ponto Novo, onde a SEI realiza uma audiência nesta sexta-feira (30). Os moradores das comunidades, que já realizaram um abaixo assinado, justificam o pedido de inclusão no território de Ponto Novo devido a proximidade e localização de estradas vicinais, além de já terem suas necessidades básicas, sobretudo serviços públicos, atendidos pela Prefeitura deste município.

Após o trabalho de campo, a SEI vai elaborar uma minuta com a proposta dos novos limites intermunicipais. Em seguida, a Superintendência irá apresentar mapas com as coordenadas detalhadas de cada município e uma nova reunião com os prefeitos será agendada. Após o consenso entre as prefeituras, um anteprojeto será encaminhado à Assembleia Legislativa da Bahia, para votação.