25 de julho de 2013

Papa diz que brasileiros podem dar lição de solidariedade ao mundo

Em visita a comunidades carentes no Rio de Janeiro, o Papa Francisco afirmou que os brasileiros podem "dar para o mundo uma grande lição de solidariedade" e pediu "aos que possuem mais recursos, às autoridades públicas e a todas as pessoas de boa vontade comprometidas com a justiça social" que "não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário". Ele citou que a sociedade brasileira é exemplo quando o assunto é solidariedade. Na comunidade, o Pontífice alternou momentos de emoção, humor e seriedade, e destacou: "O Papa está com vocês"


"Sei bem que quando alguém precisa comer e bate em suas portas, vocês sempre dão um jeito de compartilhar comida. Como diz o ditado, sempre se pode colocar mais água no feijão", afirmou. "E vocês sempre fazem isso com amor, mostrando que a verdadeira riqueza não está nas coisas, mas no coração. O povo brasileiro, em especial as pessoas mais simples, podem dar ao mundo uma grande lição de solidariedade, que é uma palavra frequentemente esquecida. Porque incomoda, parece quase um palavrão", disse o pontífice no discurso, feito sob um palco montando em um campo de futebol da comunidade.

Ele disse ainda: "Cada um, na medida das próprias possibilidades e responsabilidades, saiba dar a sua contribuição para acabar com tantas injustiças sociais! Não é a cultura do egoísmo, do individualismo, que frequentemente regula a nossa sociedade, aquela que constrói e conduz a um mundo mais habitável, mas sim a cultura da solidariedade; ver no outro não um concorrente ou um número, mas um irmão". 







A presença de Francisco provocou comoção da comunidade. Muitos fiéis choraram após serem abençoados pelo papa. Os presentes se amontavam na tentativa de se aproximar do pontífice, que ficou cercado por vários seguranças. Francisco ouviu com atenção o discurso de boas vindas de um jovem, que disse que a visita à comunidade marcará a vida de todos os moradores. "A sua vida, Pai Francisco, nos levou à mídia nacional e internacional", afirmou o jovem, "mas desta vez não nas páginas policiais". Ele lembrou que, depois do anúncio de que o Papa visitaria Varginha, ruas foram asfaltadas, lixeiras foram melhor distribuídas e outras melhorias foram feitas. "Esperamos que isso continue", disse ele. "Somos pobres, pequenos, esquecidos", afirmou o jovem da comunidade.

O Papa Francisco também falou sobre corrupção, em discurso, e pediu aos jovens que "nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança" frente às "notícias que falam de corrupção, com pessoas que, em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício". "A realidade pode mudar, o homem pode mudar. Procurem ser vocês os primeiros a praticar o bem, a não se acostumarem ao mal, mas a vencê-lo", afirmou o pontífice.