26 de julho de 2013

Criminalidade em Bonfim aumenta 100%, o maior índice de crescimento no estado

A população de Senhor do Bonfim está temerosa com o crescimento da violência no município. Os números divulgados ontem pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-Ba) confirmam o aumento, que foi o maior registrado em todo o estado, entre as 43 principais cidades do levantamento. O índice de elevação da criminalidade em Bonfim, nos primeiros seis meses de 2013, foi de 100%, em comparação ao mesmo período do ano passado. Saltou de 4 para 8.


Chama a atenção o fato de que Bonfim está na contramão do restante do estado, onde os número da criminalidade estão em queda, segundo apontou a SSP. A quantidade de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) caiu 10,8% no primeiro semestre deste ano na Bahia, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 2.876 ocorrências este ano, contra 3.224 em 2012. Em 30 cidades, foram registradas quedas nos índices de criminalidade. Em outros dois municípios, os números ficaram estáveis e, em 11, houve aumento de crimes violentos, entre eles Bonfim.

O crescimento assusta. Bonfim, no entanto, continua com números relativamente baixos, frente ao tamanho da cidade e em comparação com outros municípios. Em Santo Antônio de Jesus, município com porte próximo de Bonfim, por exemplo, foram registrados 19 crimes no primeiro semestre, ou seja, mais que dobro. Em Valença foram 33; Serrinha, 18; São Sebastião do Passé, 16, Itaberaba, 15; Irecê, 14. Entre as cidades maiores, Juazeiro apresentou queda de 45% na criminalidade, de 68 para 37 no semestre. Em Feira de Santana, caiu de 245 para 162 (34%). 


Mais policiais - O secretário de Segurança Pública, Mauricio Barbosa, informou que, até meados de 2014, serão contratados mais 4 mil policiais, 3 mil militares e mil civis, além da aquisição de mais 1.600 viaturas. “Mas eu acredito que é o trabalho do setor de investigação que mais tem contribuído para a redução desses índices, um trabalho que a população geralmente não vê. Temos equipes trabalhando 24h por dia, sete dias na semana para desarticular quadrilhas e prender bandidos” afirmou.