22 de março de 2013

Presidente da Câmara diz que caso de Feliciano é "insustentável"

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que espera uma decisão do PSC sobre a renúncia do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) da presidência da Comissão de Direitos Humanos, no máximo, até a próxima terça (26). O peemedebista fez um apelo à liderança do PSC para que Feliciano deixe o comando da comissão. Os protestos não param nas redes sociais e no próprio Congresso contra o deputado, que é pastor.“Posso assegurar que essa Casa vai encontrar uma decisão a curtíssimo prazo. A comissão de Direitos Humanos, pela sua importância, não pode ficar nesse impasse. Eu espero até, no máximo, terça-feira, uma decisão. Agora, passou a ser também responsabilidade do presidente da Câmara dos Deputados”, ressaltou Alves.
Feliciano é pressionado para renunciar por movimentos sociais e por parlamentares. O deputado é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas, o que ele nega. Feliciano responde a dois processos no Supremo Tribunal Federal, por discriminação e estelionato. Na visão de Henrique Alves, a crise no colegiado de direitos humanos se tornou “insustentável”. A sessão desta quarta (20) da comissão teve de ser encerrada antecipadamente por conta dos protestos promovidos por militantes de movimentos sociais. Feliciano conseguiu se manter no recinto por apenas oito minutos.