4 de março de 2013

Pesca volta a ser liberada nos açudes do DNOCS na região

Terminou o período de defeso (proibição à pesca e comércio de pescado) no rio São Francisco, nas bacias baianas e em 11 açudes do estado, incluindo na região. O período de defeso é importante para proteger as espécies aquáticas e a atividade da pesca. Os açudes públicos sob jurisdição do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) são: Açude Rômulo Campos (Jacurici), em Itiúba; Quicé e Andorinha, em Bonfim; Cocorobó, em Canudos; Pinhões, em Juazeiro; Luiz Vieira, em Rio de Contas; Tremendal, em Tremendal; Adustina, em Adustina; Araci, em Araci; Anajé, em Anajé; e Champrão, em Condeubas.“Temos que fomentar estratégias sustentáveis, observando a natureza econômica, social, ambiental e cultural e, assim, dar nossa contribuição para o desenvolvimento da pesca em todo o Estado”, enfatiza Cássio Peixoto, presidente da Bahia Pesca, empresa, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Reforma Agrária, Pesca e Aquicultura.
O defeso é normatizado e fiscalizado pelo Governo Federal, por meio do Ibama.“Essa suspensão da pesca ocorre normalmente durante a época de reprodução, desova ou recrutamento das espécies, quando os peixes ainda são muito pequenos e estão se desenvolvendo”, explica o biólogo e Gerente de Pesca da Bahia Pesca, Roberto Pantaleão.
De acordo com o especialista, a consciência dos pescadores no sentido de respeitar a proibição é fundamental para a preservação das diversas espécies de peixes encontradas em águas continentais. “Se o pescador não respeitar o defeso, esgotaremos a capacidade de nossos rios e perderemos esta importante fonte de alimento e renda”, diz Pantaleão. A pesca no rio São Francisco e nas bacias está liberada até 31 de outubro. Já nos açudes, a pesca pode acontecer até 30 de novembro.