5 de março de 2013

Baiana Eliana Calmon recusa candidatura em 2014

A ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon afirmou que não aceitará o convite do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), para candidatar-se no ano que vem ao governo da Bahia. Ela classificou o convite como um "balão de ensaio" e disse que Campos foi "afoito" ao anunciar sua intenção num palanque. Apesar da recusa, fez elogios ao presidenciável e disse que não descarta se filiar a partir de 2015. "Ele está fazendo um grande governo em Pernambuco. Isso é inegável", disse a ministra, no Rio, onde faz uma palestra na Casa do Saber. "Eu nem descarto de vir até a ter uma atividade política, mas só a partir de 2015. Me aposento em novembro de 2014. A magistratura para mim é prioridade. [...] Estou proibida de exercer política partidária. Por mais admiração que eu tenha, é uma admiração como cidadã brasileira."Calmon disse que não foi convidada pessoalmente para filiar-se ao PSB. E declarou que só teve contato por telefone com Campos.
"Ele não me convidou. Apenas ele chegou em público e disse que ia me fazer um convite para eu ser candidata ao governo da Bahia. De forma que isso é uma especulação. Acho que ele jogou um 'balão de ensaio' para ver. Mas ele não me convidou pessoalmente", disse a ministra, que contou ter sido convidada também pelo PPS.
Calmon relatou que teve contatos com Campos quando era corregedora do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), durante inspeção a um fórum no interior de Pernambuco. O governador, segundo o relato, pediu o apoio dela em razão da alta na taxa de homicídios na região e viabilizou a reforma das instalações do Judiciário no local. "Ele disse que tem anotado todos os índices de criminalidade do Estado por região. Nunca vi um governador se preocupar com detalhes. Ele se preocupa com detalhes", declarou.