20 de março de 2013

Audiência pública na próxima sexta definirá se haverá São João em Bonfim


Uma audiência pública, que será realizada na próxima sexta-feira (22), vai decidir se haverá São João em Bonfim este ano. Foi o que informou reportagem do jornal Correio, de hoje. A notícia da audiência foi confirmada por membros do governo municipal. A reportagem mostra que a seca, que mantém 214 cidades em situação de emergência, terá reflexos na tradicional festa pelo segundo ano consecutivo. Em pelo menos dez cidades os festejos serão bem magros e em São Gonçalo dos Campos o evento já foi cancelado. 

Moradora de Senhor do Bonfim, Anália Silva, 67, vê sua casa se transformar em albergue de amigos do seu filho durante o período. Este ano, ela não sabe se receberá visitas. “Aqui está uma calamidade só. Esse ano, acho que não vem ninguém”, lamenta a dona de casa, que só não deixará de acender a fogueira. “Vou ficar só com meus filhos comendo milho assado”.  
Em outras cidades haverá redução no número de atrações, principalmente as de impacto nacional. Em Jaguarari, o arrasta-pé só terá dois dias e será animado por atrações da região. Bem diferente de anos anteriores, que tinham cinco dias de festa com atrações de porte nacional como Aviões do Forró e Victor & Leo. “Estamos gastando tudo para minimizar os efeitos da estiagem comprando ração e água. Temos que abastecer 15 carros-pipa por dia, explica o prefeito Antonio Ferreira Nascimento. Ano passado, a cidade investiu R$ 700 mil na festa. Este ano, os gastos não devem passar de R$ 200 mil. 

Cuz das Almas fará 30 dias
 

Enquanto cidades do interior cortam gastos com o São João, a festa em Salvador terá programação de 13 a 30 de junho, no Pelourinho. A informação foi confirmada ontem pelo secretário estadual de turismo, Domingos Leonelli, que deixou claro o objetivo de aproveitar o movimento da cidade com a Copa das Confederações. A festa deve ser lançada oficialmente em abril. Segundo Leonelli, haverá valorização dos artistas regionais. “A grade ainda está aberta. Devemos ter nomes nacionais. Já estamos fechados com Adelmário Coelho, Zelito Miranda, Carlos Pita e Val Macambira”, adianta.
Sem sofrer com a seca, outras cidades também vão investir bem. É o caso de Cruz das Almas, que promete fazer 30 dias de comemorações. A estimativa é de um investimento de R$ 2 milhões. “Já fechamos com Aviões do Forró, Adelmário Coelho e Estakazero”, revela o secretário de cultura, esporte, lazer e turismo, Ronaldo Anias.